Guilhermina Libânio interpreta Cibele, em Órfãos da Terra

Home » Novelas

Revoltada, Cibele decide se afastar de Davi

Nos próximos capítulos de Órfãos da Terra, a feminista Cibele (Guilhermina Libânio) não suporta saber que Davi (Vitor Thiré) é soldado do exército de Israel e decide se afastar do jovem. A situação entre os dois piora, quando o judeu revela que voltou ao Brasil para impedir o casamento de sua irmã Sara (Verônica Debom) com o árabe Ali (Mouhamed Harfouch).

A cena se inicia com a feminista questionando que não entende os motivos pelos quais Davi decidiu entrar no exército de Israel. “Desde pequeno, eu ouvia meu saba contar as histórias da família. Como os judeus sempre foram perseguidos. Ele falou da guerra, do holocausto. Saba perdeu toda a família nos campos de concentração. Ele é um sobrevivente”, explicará o rapaz, que sabe que Cibele é de família árabe.

A garota concorda que o holocausto foi um dos momentos mais cruéis da humanidade. “Ir pra Israel, me alistar no exército foi uma maneira de eu me conectar com meu avô, com a história da minha família. Fez eu me sentir judeu de verdade”, diz ele.

“Pra você se sentir judeu como seu avô, você precisou se alistar no exército? Lutar? (…) Não, sinceramente eu não entendo. Sou totalmente contra violência, conflitos armados, guerras! Pra mim nada disso faz o menor sentido!”, questionará Cibele. O rapaz então explica que servir ao exército de Israel é uma questão de honra para ele.

Em seguida, o jovem contará a Cibele que veio ao Brasil para impedir o casamento de sua irmã Sara com o árabe Ali. A feminista demonstra irritação e responde que Sara é quem deve decidir com quem se casará. “Em que século você acha que tá vivendo, cara? Ah, me poupe! Se você pensa assim, definitivamente, a gente não tem nada a ver! Vê se me esquece! Tchau! Fui!”, conclui, deixando Davi triste.

O capítulo está previsto para ir ao ar na próxima sexta-feira (14), a partir das 18h15, pela TV Globo.

Fonte: Observatório da Televisão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Ver também