Carlos (Danilo Mesquita) em Éramos Seis

Home » Novelas

Mesmo após a morte, Carlos surpreende Lola

Em Éramos Seis, da TV Globo, Carlos (Danilo Mesquita) acaba recebendo um tiro da polícia contra os manifestantes e morre logo em seguida. Com isso, Lola (Gloria Pires) fica completamente devastada, e até chega a dizer que vai viver apenas para os filhos pois a própria vida acabou.

“Nenhuma mãe merece esta dor que está sentindo… Mas vai aprender a conviver com ela porque passar, ela não passa, não”, diz Dona Maria (Denise Weinberg), e Lola sorri triste. Mais tarde, ela se lembra do filho, ainda adolescente lhe oferecendo uma flor. “É um juramento! Estarei sempre aqui pra te dar as mais belas flores do nosso jardim”, dispara o garoto em sua lembrança.

Ela ainda se lembra que no dia que Carlos morreu, antes de sair de casa, ele prometeu que nunca lhe faltaria. “Realmente, você não cumpriu a promessa… Queria tanto te ver uma vez mais… Era meu melhor amigo, meu filho. Contava com você”, diz a doceira que de tão cansada, começa a cochilar e tem uma alucinação com o filho.

“Mamãe, mamãe… Não chore. Sou eu. Mamãe, ouça a vó Maria. Você tem que acordar pra vida. E me deixar ir em paz… Mas eu vou estar sempre por perto, cuidando de você…Sempre… Não esqueça disso… Sempre. Mamãe, agora cuida dos meus irmãos, da casa e de si, prometa. É você que tem que prometer… eu olho por vocês…”, diz ele. Lola então abre os olhos, e chora ainda mais.

No dia seguinte, a campainha toca, é um homem com uma pasta pedindo para falar de um assunto particular com Lola. Ela fica ressabiada, afinal após a morte de Júlio (Antonio Caloni), ela foi assombrada pelas dívidas do marido. “Dívida?”, pergunta ela. “Não… ao contrário… Carlos fez um seguro de vida em seu nome… ele nunca lhe disse?”, diz o homem a acalmando.

“Eu sei que a ocasião não é das mais propícias… a senhora me desculpe, mas dada as circunstâncias de sua morte, nossa companhia se apressou em pagar… é só a senhora assinar aqui, por favor…”, pede o tal homem.

Lola com os olhos marejados lê o papel, assina e depois ainda atônita conduz o homem até a porta, depois de ele lhe entregar um cartão com o endereço onde ela deve ir para retirar o dinheiro. Ela se lembra novamente do filho, dizendo que ela poderia contar ele sempre, e fica em prantos. “Clotilde… Ele sempre foi um bom filho, Clotilde… Ele sempre cuidou de mim…”, diz sendo consolada pela irmã.

Clotilde (Simone Spoladore) então percebe que o valor do seguro é o suficiente para que elas paguem a casa. “Carlos me disse que ia cuidar de mim, olhar por nós. Ele queria tanto quitar a casa… Clotilde, eu vou quitar, a casa será nossa, mas, meu Deus, a que preço… A que preço!”, diz.

“Meu filho abandonou a faculdade que tanto sonhou, perambulou pelas ruas vendendo amostras de remédio… Vinha se esforçando tanto no guichê do banco. Juntava todos os tostões do salário para me ajudar”, continua a protagonista, e Clotilde entende que aquele era o maior presente que Carlos poderia dar à mãe. Lola mais uma vez sorri, triste pois sua conquista só foi possível a partir de uma desgraça.

Éramos Seis é exibida de segunda a sábado, às 18h30, pela TV Globo.

Fonte: Observatório da Televisão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Ver também