Agatha Moreira interpreta a vilã Josiane, em A Dona do Pedaço

Home » Novelas

Josiane expulsa Maria da Paz de casa e vira dona das fábricas

Nos próximos capítulos de A Dona do Pedaço, folhetim de Walcyr Carrasco, a situação de Maria da Paz (Juliana Paes) ficará ainda mais complicada. A boleira flagrou sua filha Josiane (Agatha Moreira) e seu marido, Régis (Reynaldo Gianecchini) na cama e partiu para cima do homem lhe deferindo um tiro. O pilantra é hospitalizado e Maria levada para uma delegacia. A notícia da traição dentro de casa se espalha e acaba gerando comoção em todos os amigos que admiram a empresária.

Quem não se comove com a situação é justamente Josiane, que se recusa a visitar a mãe na prisão. Contudo, a vilã acaba passando a maior parte do seu tempo no hospital, cuidando do amante. Com Régis sem correr risco de vida, Amadeu (Marcos Palmeira) consegue um habeas corpus para tirar Maria da Paz de trás das grades.

No dia anterior à sua saída, Maria da Paz recebe a visita de Téo (Rainer Cadete) que conta que já sabia das mentiras de Josiane, refutando a ideia de que ela teria sido seduzida pelo homem mais velho. “Não… não… o Régis e ela tavam de acordo, faz tempo… Eles tinham um caso, Maria da Paz. Ela me enrolou… me usou como fachada…”, diz o fotógrafo que tentou alertar Maria anteriormente, e passou mal diante dela, não conseguindo falar nada.

Não convencida da história do fotógrafo, Maria aguarda por uma explicação de Josiane, e resolve conversar à sós com a blogueira assim que deixa a prisão. “Filha, eu te vi abraçada com o Régis, com roupas íntimas. Isso não tem volta. Eu vi. Mas eu sei que o Régis tem lábia… Conta como tudo aconteceu. Conta… que eu ainda posso te perdoar”, implora a empresária.

Contudo, Josiane resolve humilha-la e abre o jogo: “Eu não quero que cê me perdoe. Foi tudo um plano desde o começo. Eu já conhecia o Régis desde o dia do leilão, sabe… o leilão? Eu saí com ele naquela mesma noite… e depois outras vezes… só que o Régis apesar de toda aparência, não tinha dinheiro de verdade… […] Cê me dava pouco. Então o Régis se aproximou de você… Cê ainda tava encantada pelo meu pai… mas eu inventei umas coisas pra separar vocês dois…”, começa ela.

Maria sente-se culpada por ter duvidado de Amadeu, e Josiane continua: “Eu posso ser sua filha, mas não sou como você. Eu quero viver no luxo. Na alta roda. Eu queria o tipo de vida que o Régis costumava ter. Eu queria um homem como o Régis. Um homem de que me orgulhasse. Eu não queria viver essa vida cafona que você vive… então… eu junto com ele, fomos fazendo sua cabeça. Lembra de quem foi a ideia de botar a mansão no meu nome? Foi tudo combinado. A gente se encontrava nas suas costas”.

A empresária começa a chorar e sofre com as palavras da filha sem caráter, que sente prazer em vê-la assim e continua a dizer que transava com Régis em seu quarto enquanto ela dormia, e que arrancou dinheiro dela diversas vezes, inclusive incriminando Rock (Caio Castro), como no caso do roubo das joias.

“Fui eu que peguei. E o Régis vendeu. Pra te dar uma lua de mel, pra parecer que tinha dinheiro ainda… e você caiu… cê foi burra”, dispara a vilã. A empresária conta que muitas vezes sentiu que as coisas estavam estranhas, mas que não é burra e sim cega de amor como todas as mães. Aos prantos, ela pede que a filha se arrependa, e assim ela poderá a perdoar, mas Josiane continua debochando da comoção da própria mãe.

“Faz um favor. Vá embora desta casa”, ordena Josiane afirmando que a casa agora pertence a ela. Mesmo a empresária tentando dizer que colocou a casa em nome da garota para lhe dar segurança financeira, ela não muda sua opinião.

“O que importa é que a casa é minha. Pegue suas coisas e vá embora. Eu nunca falei tão sério na minha vida. Quando o Régis voltar, não quero que encontre um traço sequer de você aqui. Agora não há mais motivo pra nos escondermos. Ele vai voltar… vai voltar, vai viver aqui comigo. Vai viver na casa que você pagou. Comigo. Vá embora… mãezinha. Vá embora”, continua Jô.

“Não pode tar falando sério, Josiane. Diz que não tá falando sério, que tudo isso é um sonho ruim”, suplica Maria, mas Josiane ameaça chamar o segurança para expulsá-la. “Se não sair pelas próprias pernas, sairá à força. Leve também aquele encosto da sua mãe. Ela me perturba. Vá embora. Vá. Eu vou pro meu quarto. Quando sair de lá, não quero mais te ver”, continua Josiane.

Arrasada com toda a revelação, Maria da Paz reúne suas forças, e vai com Evelina (Nívea Maria), pedir abrigo novamente à Marlene (Suely Franco). Disposta a trabalhar em dobro para reconstruir sua vida, ela tem uma surpresa ainda maior ao chegar na fábrica e encontrar Josiane sentada em sua cadeira.“A fábrica agora é minha”, conta a vilã para Maria da Paz.

Josiane expulsa a mãe da fábrica de bolos alegando que a empresa lhe pertence. “Essa fábrica nunca foi sua. Quando eu fiz a transferência, pedi pro doutor Antero fazer um papel e botar no meio dos outros, podendo voltar com todo negócio pra trás. Na época eu não imaginava como cê era, mas já tinha uma desconfiança. Eu vou retomar a fábrica e botar você pra fora daqui”, promete Maria da Paz.

O capítulo está previsto para ser exibido no dia 20 de agosto, na TV Globo.

Fonte: Observatório da Televisão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Ver também