Agatha Moreira interpreta a vilã Josiane, em A Dona do Pedaço

Home » Novelas

Josiane coloca fogo na fábrica de bolos de Maria da Paz

Nos próximos capítulos de A Dona do Pedaço, novela de Walcyr Carrasco, Nilda (Jussara Freire) bem que cantou a pedra que Josiane (Agatha Moreira) era uma Matheus. Cada vez mais obcecada com o poder, depois de matar o mordomo da família e tentar levar a própria mãe à falência, a garota vai contar com a ajuda de Rael (Rafael Queiroz) para destruir a fábrica de bolos de Maria da Paz (Juliana Paes). A vilã colocará fogo no local.

O problema começa quando a influenciadora digital escuta uma conversa entre sua mãe e seu contador, Márcio (Anderson Di Rizzi), onde a empresária afirma ter precisado fazer um empréstimo com o banco para repor seu estoque de ingredientes de bolos. Maria conta que gastou toda sua reserva de dinheiro devido à decoração de sua nova mansão, e por ter comprado uma importadora de vinhos para Régis (Reynaldo Gianecchini).

Com isso, a filha mau-caráter de Da Paz mantém a ideia fixa de que caso sua mãe continue endividada, ela precisará fugir dos credores e, com isso, passará as fábricas para o seu nome. A megera, então, decide procurar seu amante, Régis, para propor um novo plano. Régis, por sua vez, garante que está feliz por ter um negócio só seu, e que adora, já que a sua loja de vinhos está prosperando, e passa a rejeitar os planos malignos da jovem.

“Se minha mãe tiver um grande prejuízo agora, não paga o empréstimo. E se não pagar, pra não perder a fábrica, cê dá a ideia dela botar a fábrica no meu nome”, sugere a garota. Contudo, Régis passa a ser contra o plano e começa a defender Maria da Paz. Ele diz que se a fábrica for prejudicada, a boleira corre o risco de perder a própria empresa.

“Não perde. Ela vai fazer qualquer coisa pra não perder. E eu, como filha boazinha, deixo ela botar a fábrica no meu nome”, explica a vilã. “Só não te interno num hospício, porque já caí nas suas ideias malucas muitas vezes. Só digo uma coisa, sua mãe não merece a filha que tem […] Jô, esquece… já deu tudo tão certo, já tem a mansão no seu nome, eu tenho esse negócio aqui. Não é hora de parar?”, diz ele.

“Eu não vou parar. Já sei como faço pra minha mãe ficar de mãos atadas. E passar a fábrica pro meu nome! Cê vai me ajudar”, insiste Josiane, mas Régis se recusa a ajudar a amante. “Então eu vou fazer tudo sozinha. Depois não reclama, porque tudo vai ser meu”, responde Jô, que sai Pê da vida e procura por Rael, fingindo querer se aproximar do seu primo.

“Corta essa. Eu não sou bobo, cê quer alguma coisa de mim. E não é coisa boa. Sabe que eu tentei atirar na sua mãe duas vezes, mas não tive sorte. Se fosse uma boa filha, cê nem falava comigo”, diz ele. Rael conta a jovem sobre a promessa que havia feito a Nilda, mas que não pôde cumprir, devido à promessa que fez para seu tio Amadeu (Marcos Palmeira), novo chefe da família Matheus.

“E se eu… quiser fazer uma coisa que só prejudique minha mãe? Sem tiro?”, Rael aceita e diz para Josiane que o seu sangue Matheus está falando mais alto. No mesmo dia, no meio da noite, Josiane pega uma das chaves reserva da fábrica, que a mãe guarda em casa, e entrega para o primo.

Rael entra escondido na fábrica, vai para o depósito onde ficam armazenados os ingredientes e joga gasolina em tudo, ateando fogo no local logo em seguida. Como Josiane havia lhe pedido, ele sai às pressas do local para não ser pego pela polícia. A fábrica será inteira consumida pelas chamas.

O capítulo está previsto para ser exibido no dia 10 de agosto, às 21h15, pela TV Globo.

Fonte: Observatório da Televisão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Ver também