Maria da Paz (Juliana Paes) e Josiane (Agatha Moreira) são mãe e filha em A Dona do Pedaço

Home » Novelas

Cena revela que Josiane pode não ser filha de Maria da Paz, em A Dona do Pedaço

A história de A Dona do Pedaço pode ter uma grande reviravolta para a protagonista Maria da Paz (Juliana Paes) mais à frente.  A confeiteira, que criou a sua filha Josiane (Agatha Moreira) com muito suor e trabalho, pode não ser mãe biológica da jovem mau-caráter. Tudo isso porque o autor da trama, Walcyr Carrasco, tem deixado dicas sobre uma possível troca dos bebês prematuros na maternidade.

Em cena que virá na próxima quinta-feira (6), Josiane vai admitir a Régis (Reynaldo Gianecchini), seu namorado, que não se sente filha da boleira. “Eu não me sinto filha dela. Eu e minha mãe somos completamente diferentes. Não me sinto filha. Mas tudo bem, se sou filha, é por um acaso da vida”, dispara a garota.

Vale lembrar que antes desta ‘teoria’ surgir, Carrasco havia escrito um diálogo para as enfermeiras no hospital que poderia sugerir uma troca dos bebês. Na ocasião, o autor de A Dona do Pedaço pediu para que cenas extras fossem gravadas no mesmo cenário e com o mesmo figurino de Maria da Paz, na primeira fase da trama. Contudo, não se sabe os detalhes desse material e tão pouco, se um dia será exibido ou se encaixará na história. Mas especula-se que essa sequência secreta tem a ver com o diálogo seguinte, ocorrido no hospital, que já foi ao ar.

“Outra criança em incubadora?, pergunta uma enfermeira.“Nasceu agora. É uma menina”, responde a outra.“Esta também é menina. Que dia. Dois partos prematuros! Que Deus abençoe estas crianças”, conclui a primeira.

Os telespectadores engajados nas redes sociais já começaram a teorizar sobre o caso, e se houve realmente uma troca, quem seria a verdadeira filha de Maria da Paz. Outros acreditam que tudo isso pode ser apenas mais uma carta na manga do autor, que será usada, caso a vilã Josiane seja rejeitada pelo público. E você, em qual teoria acredita?

Fonte: Observatório da Televisão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Ver também