Home » Novelas

Adelaide resolve procurar novo tratamento para Justina

Nos próximos capítulos de Éramos Seis, da TV Globo, Adelaide (Joana de Verona) vai demonstrar que nunca se conformou com as explicações da mãe acerca da irmã. Para a moça que foi criada na Europa, deve existir algo que os médicos possam explicar sobre a doença de Justina (Júlia Stockler). Na época em que se passa a trama, a medicina ainda não tinha feito grandes descobertas sobre o autismo.

“Desde que trouxe minha irmã me surpreendo com o jeito dela a cada dia. Mas acho que ela nunca vai melhorar de verdade, se depender do jeito que é tratada pela minha mãe”, diz Adelaide para Alfredo (Nicolas Prattes), depois que ela e Emília (Susana Vieira) têm uma discussão depois de a ricaça esconder os lápis de cor da garota.

Alfredo revela que conhece um jovem estudante de medicina, Marcelo (Guilherme Ferraz) que pode ajuda-la. Adelaide chega a comunicar com Emília que vai procurar um jovem médico para ter explicações sobre o caso de Justina, mas a mãe, afirma que ela vai se deparar com as mesmas respostas.

Ao conversar com Marcelo, ele diz que em primeiro lugar não concorda com a internação de qualquer paciente nas condições de Justina. “Alguns médicos podem querer internar sua irmã ainda mais num momento de surto. Mas os métodos pra acalmar os nervos dos pacientes nestes lugares, nossa! Eu não recomendo, banhos, isolamento, injeções…”

Ainda estamos bem atrasados quando o assunto é a mente humana. Há muita oposição em relação aos ensinamentos do doutor Freud, por exemplo. Aqui já existe uma sociedade de psicanálise, é novidade, mas enfrenta muita resistência. […] Há estudos que dizem que a arte faz uma ponte com o inconsciente. E ajudam no tratamento de doenças mentais. E já há gente defendendo esta forma de tratar”, diz ele incentivando que Adelaide a fazer com que a irmã continue desenhando, e promete procurar maiores explicações.

Éramos Seis é exibida de segunda a sábado, às 18h30, pela TV Globo.

Fonte: Observatório da Televisão

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Ver também